sábado, 5 de maio de 2012

MEMÓRIA HISTÓRICA E AFETIVA




Recordo-me que quando era criança nos anos oitenta e adolescente no início dos anos noventa, não se usava muito moedas só notas de dinheiro. Vivia-se numa época de inflação galopante e recessão. Então, ficava inviável utilizar moedas naquela época.

Eu acho curioso como nas nossas memórias afetivas existem elementos da História. Recordo-me que quando o Plano Real (27 de fevereiro de 1994 )  se consolidou, tinha toda uma conscientização de que moeda era dinheiro e que não se podia jogar fora. Isso foi complicado para mim, só gostava das notas e desprezava as moedas. Levei um tempo para me adaptar.

Tudo bem que cada indivíduo tem um olhar singular e um jeito de lidar com a vida, mas não se pode negar a influência do meio externo. Se observarmos nossos pensamentos, existe uma ordem do discurso coletivo. Por isso uma analise abrangente e interdisciplinar ajuda a compreender a complexidade do ser.

Uma vez, quando estava fazer um curso de literatura, ouvi falar pela primeira vez da Nova História, que se fundo com as ciências sociais, inclusive à sociologia, proporcionado novos instrumentos de pesquisa, encontrando diferentes respostas e questionamento. Com a nova história não se estuda mais um sujeito em particular, nem muito menos o que esse indivíduo fez, estuda-se quem ele foi ou o que ele fez a partir de várias analises: psicológicas, econômicas, sociais, políticas, culturais, religiosas, as estatísticas, o imaginário das pessoas, as histórias orais, os documentos, etc. Tudo isso interpretado de várias formas. Por tanto a nova história abandona o pensamento de que nenhum fato ocorrido poderia ser repetido, rompendo assim com a história linear e criando uma história cíclica.

Então comecei a pensar que para entender a história, não adianta só ler livros de História e os jornais. Precisa ouvir os mais velhos, escutar um depoimento de uma pessoa comum e não ter preconceitos. Cada elemento, mesmo uma singela lembrança, ajuda a compreender o mundo.

Outro fato importante, quando ouvir a notícia de que aumentará ou não a taxa de juro, apesar dos nomes incompreensíveis, com certeza isso influenciará minha vida e de você também, leitor. Apesar, lógico, dos diferentes pontos de vistas de cada indivíduo.