Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2012

CONTRADITÓRIO

Imagem
Este vídeo é sobre como o ser humano é contraditório. Achamos que temos o controle de nossas atitudes, mas não é bem assim.
 Faço uma reflexão por qual motivo faço vídeos ou escrevo. Quero aparecer ou não desejo me mostrar? Fico dividido entre a ideia de “ produzir” como forma de terapia e a vontade de aparecer. Esta questão surgiu com um comentário de um vlogueiro famoso que argumentava sobre muitos vlogueiros sem criatividade e que não produziam seus vídeos com qualidade. Ele está certo em um aspecto. Se a pessoa almeja o aumento nas visualizações e a notoriedade, necessita melhorar a qualidade dos vídeos. Confesso minha mania de levar tudo para o pessoal. Fala sério! Ele nem sabe da minha existência. Sou tão tolo às vezes ou muitas... 
 Mas, se a pessoa não quer só sucesso? Faz filmes como forma de discutir sobre um assunto ou contribuir para o aperfeiçoamento da democracia. Também, às vezes me pego a esperar a aprovação do outro. Logo, vem a contradição. Uma parte de mim almeja a n…

UMA REFLEXÃO SOBRE O FILME " SOCIEDADE DOS POETAS MORTOS"

Imagem
Na Welton Academy, uma tradicional escola preparatória, um ex-aluno (Robin Williams) se torna o novo professor de literatura, mas seus métodos de incentivar os alunos a pensarem por si mesmos provoca um choque com a direção conservadora do colégio, sobretudo quando fala aos seus alunos sobre uma sociedade secreta. 
Não gostaria de falar sobre o filme em si, mas como é complicado dar conselhos. No filme, teve um personagem que desejava ser ator, mas o pai não o permitia. Ele se pedia dicas para o professor liberal, que com ótimas intensões dizia para fazer com o pai abertamente sobre o sonho de o rapaz ser ator. Todavia, o jovem não era forte e não conseguia se livrar das amarras do pai. Resolveu se suicidar para se libertar da opressão paterna. Diferente de outros que saíram de casa e sofreram dificuldades para ir atrás do sonho. 
 Por isso, que dar conselhos é muito complexo. Se você tomou uma atitude e deu certo, não significa que para o outro dará certo. O ser humano é vasto e não t…

ALTERIDADE

Imagem
Mais uma vez fui convidado para participar de uma corrente, mas esta é composta de perguntas pessoais.
 Quando li as questões comei a pensar como precisamos do outro para nos levar a pensas sobre nós mesmo. O conceito que representa este fato é Alteridade, o qual o pressuposto fundamental de que ser humano interage e interdepende do outro. Assim, como muitos antropólogos e cientistas sociais argumentam que a existência do "eu-individual" só é permitida em relação a um contato com o outro. 
 Em muitas ocasiões vivemos no automático do cotidiano e nos transformamos como autômatos. Portanto, ao responder as perguntas que vem do outro, tive que parar para pensar sobre mim.

CAVALEIROS DO ZODÍACO

Imagem
Não sou um fã-especialista da série, mas o que me marcou ao assisti-la pela primeira vez na extinta tevê Manchete foi a demonstração de superação dos cavaleiros de bronze para proteger Athena. Enfrentaram inimigos mais fortes e acreditando no poder da amizade deram a volta por cima.
 A mensagem da história mostra que a verdadeira força não está em si e sim na persistência de ultrapassar barreiras e acreditar na sua capacidade. O personagem principal que exemplifica muito bem esta mensagem e o Seiya de Pégaso, que mesmo reduzido a nada continua a lutar por Athena e seus amigos. Todos o admiram, principalmente Athena. A amizade é marcante na série do anime.
Quando o cavaleiro de Cisne (Yoga) foi congelado, o cavaleiro da Andrômeda o aqueceu com seu corpo, salvando-o. Um amigo verdadeiro ou uma pessoa de coração bom toma esta atitude sem reservas. Em Cavaleiros do Zodíaco a verdadeira força está na amizade, fé, na bondade e na superação dos limites humanos.
Imagem

CANALIZAÇÃO

Imagem
Uma das vantagens de ser artista é que ele canaliza os sentimentos, podendo exorcizá-los através da obra de arte. Os que não são artistas, muitas vezes, não conseguem expressar seus anseios e angústias. 
 Não sou artista, mas utilizando a escrita e fazendo alguns vídeos,  ajudam-me muito na adaptação do mundo em que vivo. Nem existe valor artístico, mas, é uma trégua momentânea ou válvulas de escape, com intuito de ter forças para seguir em frente. 
 Já ouvi falar de psicólogos ou terapeutas indicarem os pacientes a manterem um diário, inclusive, usar na terapia artes plásticas. No “hospício”, revelam-se muito artistas imaginativos e talentosos. 
 Por isso, que acho interessante praticar qualquer tipo de arte, mesmo não sendo artista. Com certeza, o mundo seria bem melhor.

Scrap ao Vento

Imagem
Imagem encontrada no google
Os objetos que acumulamos: livros, bilhetes, ingressos, fotos e outras coisas... Ao longo do tempo, constroem nossa identidade. De algum jeito, revelam um pouco como nós somos. 


Lógico que nem tudo, somos um enigma até para a gente mesmo.


Os objetos são espelhos que refletem nossa imagem ou o ideal do que almejamos ser.

IMENSIDÃO

Imagem
Existem pessoas que sempre estão na superfície, representam a si mesmas, ou pior, autocaricaturas. Não conseguem explorar a imensidão do ser.

O CONTO A BILIOTECA DE LIMA BARRETO

Imagem
Ao ler este conto confesso que me deu certa melancolia. A história narra à decadência decorrente das mudanças históricas. 
“ À proporção que avançava em anos, mais nítidas lhe enviam as reminiscências das cousas da casa paterna. Ficava ela lá pelas bandas da Rua Conde, por onde passavam então as estrondosas e fagulhentas “ maxambombas” da Tijuca. Era um casarão grande, de dous andares, rés-do-chão, chácara cheia de fruteiras, fâmulas, escravos; e a escada que servia os dous pavimento, situada um pouco além da fachada, a desdobra-se em toda a largura do prédio, era iluminada por um grande e lara claraboia de vidros multicoloridos...”
Como se percebe no primeiro parágrafo, o protagonista é um senhor que pertencia a uma família nobre da época do Império. O casarão dos seus antepassados com seus objetos de valor foram desaparecendo, principalmente, quando a Monarquia deixou de existir e a República a substituiu.  
Quando isto aconteceu, no conto é muito bem descrito, houve uma mudança do pen…

DOMINGO CULTURAL

Imagem
Venci minha preguiça e fui com minha irmã ao CCBB. Nós fomos ver Vestido de Noiva de Nelson Rodrigues, mas antes demos uma passada na exposição das obras da artista Tarsila do Amaral( Percurso afetivo). Logo, comecei a pensar que poderia fazer algumas relações sobre a exposição e a peça, principalmente, na busca de fazer uma arte espontânea e não ser uma cópia da arte europeia. 
Tarsila do Amaral iniciou o aprendizado na pintura em 1917, com Pedro Alexandrino Borges. Posteriormente, estudou com o alemão George Fischer Elpons. Em 1920, viaja a Paris e frequentou a Academia Julian, onde desenhava nus e modelos vivos intensamente. Também estudou na Academia de Émile Renard.
Tempos depois, aderiu às ideias modernistas ao voltar ao Brasil, em 1922. Numa confeitaria paulistana, foi apresentada por Anita Malfatti aos modernistas Oswald de Andrade, Mário de Andrade e Menotti Del Picchia. Esses novos amigos passaram a frequentar seu atelier, formando o Grupo dos Cinco. Estudou com os artistas cu…