segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Tentativa frustada de fazer um snap



Apesar da minha sobrinha dizer que sou muito velho para abrir a conta no snap, resolvi me cadastrar assim mesmo. Ela até mudou de ideia e me ajudou a mexer nas ferramentas. Detalhe, até me adicionou!

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

A GAROTA NO TREM DE PAULA HAWKINS



Pode não considerado um clássico da literatura mundial, mas, faz pensar na sociedade em que vivemos. Como nos iludimos com a superficialidade produzida pelo consumo em relação ao ideal de vida e família. 

Meu objetivo não é fazer uma resenha e sim mostrar como por meio dos personagens, podemos nos identificar com a dor e o abismo que todo ser humano carrega. Nesse ponto, o romance é visceral ao mostrar a face obscura da natureza humana que muitos não conseguem lidar, preferindo se refugiar nas superfícies das máscaras sociais, na bebida ou nas drogas gerais. A história mostra que o inconsciente sempre estará martelando a cabeça com a finalidade de mostrar que não adianta fugir. 

Com uma narrativa simples, mas, não simplória, os personagens vão mostrando suas camadas mais profundas e evidenciando que nada é como parece ser. Inclusive, nos dias de hoje em que todos querem se mostrar felizes e bem resolvidos nas redes sociais. Será que são mesmo? Ou interpretam? Ou tem a ilusão que felizes? É interessante observar como é importante mostrar o sucesso e isso é uma forma de insegurança, também. Se você for bem sucedido, não precisa se expor toda hora. 

 Cada vez mais a sensação de estabilidade se desmancha no ar e, como no romance mostra, não adianta se refugiar no outro e viver uma fantasia. Se continuar, cairá ainda mais no poço e se sentirá em desencaixe com tudo e com todos. 

Por isso, acho bacana não só ler A GAROTA NO TREM como puro entretenimento. Observe com a atenção e analise os personagens, os quais mostrarão muitas semelhanças com você e com os outros que passam por nossas vidas. 

Outro fato que almejo dizer, fugindo um pouco do livro, muitas vezes nos preocupamos com a educação formal e acadêmica para arranjar um emprego. Todavia, esquece-se de cuida do lado emocional e existencial. Quando terminei a leitura, refleti sobre essa questão. Como no romance e na vida real, os indivíduos deixam de cuidar da parte emocional e se transformam em bombas-relógios prestes a explodirem.