sábado, 30 de junho de 2012

SOMBRAS DA NOITE




Foi uma deliciosa salada de fruta com leite condensado: Romance, terror, piadas não politicamente corretas e moral da história.

Parecei que o filme brincava com os outros gêneros do cinema. Enfim, a proposta do filme é a diversão. Os atores estão ótimos e a que mais gostei foi Eva Green, realmente, é uma BOA ATRIZ. Eu a assisti no filme Os Sonhadores de Bernardo Bertolucci e ela é excelente em todos os sentidos. 

Depois do cinema comi pizza, tomei um copão de Ovomaltine do Bob’s e voltei de Kombi pra casa. 

Valeu a pena ver o filme.  Pura diversão

segunda-feira, 25 de junho de 2012

UM TAXI PARA VIENA E D’ÁUSTRIA DE ANTÔNIO TORRES




Há livros que me sinto uma criança, que tenta entender as conversa dos adultos.  Em UM TAXI PARA VIENA E D’ÁUSTRIA tive esta sensação. Mas, acho que isso não significa inferioridade, pelo contrário, a curiosidade infantil  é que não faz a gente mergulhar na mesmice dos adultos. 

É um livro fragmentado e não há uma linearidade. Utilizam-se várias linguagens como a do rádio, cinema, jornalismo e da propaganda. Watson Rosavelti Campos é um redator publicitário desempregado, mata um amigo que não via há 20 anos. Entra num táxi e, ao ouvir pelo rádio a “Missa em Dó Maior”, de Mozart, percorre no tempo e no espaço indo e voltando, enquanto o carro, preso por um congestionamento, não sai do lugar. 

Entre ocorrência, delírios, momentos do passado e pensamentos o personagem faz uma crítica à sociedade. Entretanto, a história não deixa de ser bem atual.   

*****
Achei uma resenha bem aprofundada do livro.


sábado, 23 de junho de 2012

scrap ou scraps






Para mim, significava pequenos recados que as pessoas publicam nas redes sociais, muitas vezes são correntes acompanhadas com desenhos meigos.

 Entretanto, muitas pessoas escrevem versos e pensamentos nas redes sociais. Quando escrevo para colocar na face, intitulo scrap ao vento, porque se trata de um pensamento fugaz.

Mas, uma pessoa querida me enviou um e-mail sobre a origem inglesa da palavra scrap e scraps:

SCRAP = SUCATA
SCRAPS = RESTOS, PEDAÇOS, SOBRAS

Percebi então a minha ignorância por achar que esta palavra significava recados com gifs animadas e palavras “fofas”. Ou até mensagens que as pessoas escrevem para desabafar. 

Realmente, é preciso sempre manter o espírito curioso dentro da gente, buscar a origem das coisas e não ficar repetindo que nem um gravador, sem nenhum senso crítico. 

A internet pode ser um instrumento fundamental de pesquisa, porém muitas fontes não são confiáveis. Precisa peneirar bem as informações.

Talvez scrap ou scraps pudessem ter sido usados por aqui como forma de ironia e muitos não entenderam desta forma e pensou que essas mensagens tem esse nome mesmo. 

Pois é, aprender é sempre bom e mais um mico para minha coleção. 



****
Fiz um vídeo sobre este assunto e quando coloquei no Youtube, percebi que há vários vídeos que mostram como fazem álbuns artesanais com “scrap”. Várias pessoas fazem artesanato com retalhos ou restos, que talvez fossem para o lixo. 


Então, como as mídias sociais são simulacros da vida real. Os scraps virtuais representam o real, mas o primeiro pode ser enviado para vários amigos, enquanto o segundo, para um grupo menor.


Mais uma janela que se abriu para mim e, apesar do mico, é bom se surpreender com o mundo. Pois viver sem surpresas, é que está complicado para você...



Realmente, como a palavra é polissêmica. Vários sentidos que precisamos perceber qual o contexto no qual ela foi utilizada.








Michaelis - UOL




scrap1
scrap1
n 1 pedaço, fragmento, pedacinho, resto. 2 pedaço de jornal, de papel, recorte. 3 torresmo. 4 refugo, sobras. • vt 1 quebrar, esmagar, transformar em pedaços. 2 descartar, jogar no ferro velho.

scrap2
scrap2
n sl sururu, briga. • vi sl lutar, brigar.

scrap1
scrap1
n 1 pedaço, fragmento, pedacinho, resto. 2 pedaço de jornal, de papel, recorte. 3 torresmo. 4 refugo, sobras. • vt 1 quebrar, esmagar, transformar em pedaços. 2 descartar, jogar no ferro velho.

scrap2
scrap2
n sl sururu, briga. • vi sl lutar, brigar.



scraps
scraps 
n pl metal velho, sucata, sobras.

quarta-feira, 20 de junho de 2012



Respondendo a TAG/Corrente do Juliano Spyer
Site: http://www.naumehtv.com.br
Facebook: http://www.facebook.com/NaumEhTv
Twitter: http://www.twitter.com/jasper
---
Perguntas
1. você se considera viciado em youtube?
2. desde quando voce faz vídeos?
3. como foi gravar o seu primeiro vídeo?
4. com que frequência você posta vídeos?
5. voce tem um lugar escolhido para vlogar?
6. você consegue gravar um vídeo com outras pessoas perto de você?
7. que programa você usa para editar os seus vídeos?
8. voce conta para as pessoas (amigos, família) que faz vídeos?
9. qual equipamento você pretende comprar para melhorar a qualidade dos seus vídeos?
10. quanto tempo você gasta no youtube toda semana?
11. o que você mais gosta sobre o youtube?
12. quem são os seus ídolos no youtube?
13. onde você sonha chegar pelo youtube?
14. televisão ou internet: o que você prefere e por que?

****

O canal da pessoa(Fernando Theodosio)  que me indicou: Você Não Sabia

http://www.youtube.com/user/vcnaosabia?feature=watch

****
lreporta:

http://www.youtube.com/watch?v=9TCaDMpLJhU





Adulto, mas ainda um menino medroso. Está perdido, anda freneticamente pelas ruas e galerias para encontrar algo que não sabe o que é. Quer sair do país, afastando-se da família e que encontrará felicidade em outras terras. Olha um homem sem braço que o espera na calçada, anda depressa o outro acompanha. O jovem corre, o senhor mantém o pique, porém, consegue escapar por enquanto do pai maldito, que foi embora sem saber dele. Através da revelação de um segredo de família descobre que não foi bem assim, foram as circunstancias que o fizeram ir para longe. O menino medroso cresce, agora é um homem que caminha junto com o pai sem braço pela rua. 

segunda-feira, 18 de junho de 2012

outros olhares



Gustavo Gomes




Provavelmente o Vlog seja a mais nova forma de expressão, capaz de desnudar ou não, a verdadeira face das pessoas! 
Mas o que que é ser um vlogger?
Será que é ser uma pessoa dotada de tal inteligencia que nunca possa ser contestada?
Ou será uma pessoa tão privada disso que deva ser contestada a todo tempo?
Bem, eu não tenho a resposta e provavelmente ninguém venha a ter algum dia. Mas o primordial para ser um Vlogger é ter um adomem forte para aguentar pancadas e nunca ter medo de mudar seu ponto de vista, acredite em mim, ninguém é o dono da verdade e as vezes o que achamos o certo hoje pode tornar-se errado amanhã.
Esta postura esta certa? Você pode me perguntar, eu repondo -Quem sou eu pra julgar?
Por isso, o melhor é sempre pensar bem antes de dizer algo, para que não tenha de se arrepender muito amanhã, pois nada é estático, tudo esta em constante mudança, inclusive você!
Sabe aquela pessoa que surpreendeu você com uma atitude que você nunca esperava? 
Talvez isso tenha servido tão somente para mostrar que você nunca deve julgar uma pessoa sem Conhecê-la plenamente, e mesmo assim as vezes nos enganamos.
E se for assim, falar mal de pessoas que você não conhece, seja uma atitude burra que deva ser banida da nossa sociedade de forma definitiva, você não acha?
Talvez eu, seja um sonhador, por acreditar que podemos mudar o mundo. Mas as vesses me sinto tão forte que acredito que eu possa fazer isso sozinho, hahaha... só você mesmo em Gustavo...
Sabe de uma coisa?
Durante toda a minha vida eu sempre sonhei em ser um anjo, e poder fazer coisas boas para as pessoas, e hoje eu cheguei a conclusão de que posso fazer, isso pois eu sou um Vlogger, tudo que tenho de fazer é contar uma historia que chegue até você e que possa, tocar bem no fundo da sua alma, e assim, obter de você uma reação, e depois é só deixar a moral da historia circular.
Todos somos senhores dos nossos atos, senhores das nossas mentes, você esta entendendo o que eu estou dizendo?
Acredito que devemos usar todas as nossas capacidades em favor de um mundo melhor, temos de mudar a autodestruição para a autoprodução, eu sei que tem pessoas que gostam de ver os meus vídeos, assim como sei que tem pessoas que gostam também de ver os seus, ou seja eu + você já somos dois, agora você consegue imaginar as coisas boas que todos nós Vloggers juntos podemos fazer
E ai, topa fazer a diferença neste mundo?


***
Canal do Youtube de Gustavo Gomes( Desafio Público): http://www.youtube.com/user/DesafioPublico


Clube dos vlogueiros: https://www.facebook.com/groups/187388424714562/225355094251228/?notif_t=group_activity

sábado, 16 de junho de 2012

FILME CONFIAR ( 2011)




É a história de uma adolescente que encontra um “amigo-jovem-bonito-atlético” na internet. Ele é agradável e aparentemente preenche suas carências. Mas, depois de um encontro real, ela entra numa cilada e seu príncipe se transforma num coroa pedófilo.

Ao longo do filme, percebi que não se tratava somente de crimes sexuais que acontecem na internet. A história mostra como o CONFIAR é muito complexo, independente da época. Quantos casos, ouvi dizer de jovens que foram iludidas por pilantras, em tempos das nossas avós.

Por outro lado, há o conflito do pai da garota, que se sente impotente por não protegê-la. Logo, há a prepotência dos pais que pensam que podem proteger os filhos numa redoma de vidro. Almejar que o filho seja sempre inocente o torna uma presa fácil para os predadores. As crianças para crescer, precisam aprender com os fracassos e as feridas. Devem a prender por conta própria quem pode CONFIAR.

Mostra que o pai não se preocupa com a filha vítima de abuso, mas o seu ego de pai ficou abalado e a vontade de se vingar, muitas vezes, foi mais forte que ajudar a filha.

Na realidade, desejava que fosse uma menina indefesa protegida numa redoma de vidro construída por ele mesmo. Quando a viu deprimida por causa do abuso, sentiu-se culpado de não ter mantido a confiança da filha em relação ao mundo.

Contudo, ser inocente em demasia não faz bem. O medo e a malícia são importantes à sobrevivência.  Pessoas muitas ingênuas estão expostas aos caçadores.

Por isso, que este filme como 'Precisamos falar sobre o Kevin'  precisam ser vistos tantos pelos pais e filhos.

***
Fiz esta crônica, porque tá rolando um funk auto na esquina e não consigo dormir.

terça-feira, 12 de junho de 2012

LIBERDADE





Quando fui ao médico hoje, deparei-me com um mendigo se lavando de bermuda. Estava numa fila para pegar autorização para consulta e todos ficaram o observando. Todos, inclusive eu, achamos uma cena estranha numa manhã terça-feira fria um cara tomando banho de mangueira. A água deveria estar geladíssima. 

Ouvi uma mulher dizer: “ Ele é livre, não tem preocupações e nem conta para pagar.”. Ser livre nessas condições? Não entendo. Confesso que tenho dois medos: a loucura e de virar mendigo. Perder a razão e a dignidade é uma morte simbólica para mim. 

Entretanto, será que ele prefere viver na rua a viver numa casa? À mercê das condições climáticas e de psicopatas que adoram queimá-los vivos? Preço alto para ter liberdade.  

Muitas vezes as obrigações do cotidiano sufocam, sinto-me um passarinho cativo na gaiola. Quero fugir e viver vivendo. Ao mesmo tempo, tenho medo disso. Não sou selvagem o bastante.

Tirando a questão de problemas sociais e econômicos, existem pessoas que preferem viver nas ruas.  São como animais selvagens que não consegues se adequar às regras da sociedade. 

Curioso é que tive a sensação que quando observávamos o mendigo, não sentimos só asco pena, mas também inveja da liberdade de se lavar na rua, sem se preocupar com os olhares alheios, que se transformam em prisão. 

domingo, 10 de junho de 2012

(Meu País, 2010)




pa.ís
sm (fr pays) 1 Região, terra. 2 A nação em que se nasceu, a pátria. 3 Território habitado por um grande conjunto de famílias, que constituem determinada nação. 4 Bel-art Painel, quadro que representa países (regiões); paisagem. P. da Cucanha: terra da abundância e da fartura, onde tudo são gozos e deleites. P.-sede: a) Econ: país onde se encontra a sede de uma empresa multinacional ou transnacional; b) Esp: país onde se realizam as Olimpíadas, ou um campeonato mundial de qualquer modalidade. Pl: países-sede e países-sedes.  Dicionário Online |Michaelis – UOL

Quando terminei de assistir o filme, procurei o significado da palavra. Percebi, então, que o título pretende fazer um resgate a origem e os laços de afetividades. O nosso país não é só um conceito patriótico, jurídico ou geográfico.

Anos fora do Brasil,  Marcos (Rodrigo Santoro) precisa retornar ao país quando seu pai, Armando (Paulo José) morre. Executivo, casado e bem-sucedido na Europa, Marcos reencontra Tiago (Cauã Reymond), seu irmão mais novo. Tiago é irresponsável e viciado em jogo. Para aumentar o conflito entre os irmãos, eles descobrem que têm uma meia-irmã, Manuela (Débora Falabella), que sofre de deficiência intelectual. Uma filha que Armando sempre manteve escondida de toda a família.

O resgate do passado e o encontro com a irmã até então desconhecida transformam Marcos. Antes, ele se sentia desligado das suas origens, construindo um lar em outro país. Mas, com o decorrer da história, o desejo de ajudar a irmã e o irmão é mais forte.

Por isso achei interessante o título que quem não assistiu o trailer pode achar que é um filme político.  Entretanto, Meu país narra o resgate dos laços de afetividade ou volta às origens. As pessoas que amamos são o nosso país.  

Não pude deixar de fazer uma comparação com o filme RAIN MAN(1988): Um jovem fica sabendo que seu pai faleceu. Nunca se deram bem e não se viam há anos, mas ele vai ao enterro e quando vai cuidar do testamento fica sabendo que herdou um Buick 1949 e as roseiras premiadas do seu pai, sendo que um "beneficiário" tinha herdado três milhões de dólares. Fica curioso em saber quem herdou aquela fortuna e descobre que foi seu irmão, o qual nunca o conhecera. O irmão dele é autista, mas pode calcular problemas matemáticos complicados com grande velocidade e precisão. Sequestra seu irmão autista da instituição onde ele está internado, porque planeja levá-lo para Los Angeles e exigir metade do dinheiro, nem que para isto tenha que ir aos tribunais. É durante uma viagem cheia de pequenos imprevistos que os dois se compreenderão mutuamente e entenderão o significado de serem irmãos.

Pois é... Será que para o irmão inescrupuloso não foi um retorno para seu país. Um resgate da família, que sempre fora segregada por desencontros e segredos? Na vida as histórias se repetem com outros enredos e personagens.

Enfim, Meu País faz pensar sobre laços de afetividades que são rompidos e que podem ser reconstituídos sim. Depende da gente de se reconstruir.  



sábado, 9 de junho de 2012

OUTROS OLHARES



"O Entrelinhas discute um tema sedutor, mas cercado de tabus: a literatura erótica. O programa foi conferir o Encontro de Literatura e Erotismo promovido pelo Sesc Pinheiros, em São Paulo, e conversou com os escritores Marcia Tiburi e Evandro Affonso Ferreira. A reportagem inclui ainda uma entrevista com Eliane Robert Moraes, especialista na obra do Marquês de Sade, que falou sobre a diferença entre erotismo e pornografia e sobre os autores que fazem da sexualidade uma forma de transgressão literária."

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Escritores da Liberdade






Tem profissões que são movidas pelo ideal, paixão e tesão. Não adianta só cumprir horários e metas.

O magistério é um exemplo que o professor para fazer a diferença, precisa ser muito mais do que um burocrático. Deve-se acreditar como a educação é importante para transformar vidas.

O filme Escritores da liberdade( 2007) foi baseado numa história real, na qual mostra como uma jovem professora idealista almeja que os alunos desajustados tenham objetivos na vida. Ficou com uma turma que significava a escória e mesmo com as dificuldades persistiu até conquistar os alunos. 

Ela pretendeu fazer a verdadeira integração deles com resto da escola, que era dividida entre gangs e classes sociais. Essa é a verdadeira educação. Unir, não segregar. Ajudar a formar pessoas de bem e não estatística de sucesso para escolas. 

A parte que achei mais interessante foi quando a professora deu diários aos alunos para que escrevesses suas vidas. Houve uma troca de conhecimentos. Ela os ensinava e eles também a mostravam outras realidades. Esta comunhão é a verdadeira educação, quando o aluno e o professor se interagem, aprendendo um com o outro. Os alunos ficaram animados com o projeto. 

Depois, ela resolveu juntar os diários e fazer um livro. Ao saber que o filme é baseado em fatos reais, fiquei com esperanço no mundo. As pessoas sonhadoras vão além do sistema, quebram barreiras que o status quo constrói. A protagonista inclui seus alunos, que antes eram excluídos.

Essa professora não tem superpoderes, mas é uma heroína. Agora, é muito difícil renunciar sua individualidade em prol dos outros. Não me vejo fazendo isso, por isso que bato palma de pé para quem consegue tomar esta atitude.

Este filme me deixou com esperança. De repente, pode  existir um exército de heróis comuns que dizem NÃO ao sistema e que fazem um trabalho de formiga para a transformação do mundo. 



quinta-feira, 7 de junho de 2012

scrap ao vento




Os pelos estão ficando brancos e as crianças crescem. E eu? Só vivendo minha vida. 

Para os outros pode ser insonsa, para mim: LIBERDADE. Nunca ser o paradigma, é uma forma de libertação. 

Os outros nunca se importarão com que faço. Estou misturado na multidão e caminho na fronteira da luz e escuridão.

segunda-feira, 4 de junho de 2012

outros olhares







Se eu fosse eu - Clarice Lispector



Quando eu não sei onde guardei um papel importante e a procura revela-se inútil, pergunto-me: se eu fosse eu e tivesse um papel importante para guardar, que lugar escolheria? Às vezes dá certo. Mas muitas vezes fico tão pressionada pela frase "se eu fosse eu", que a procura do papel se torna secundária, e começo a pensar, diria melhor SENTIR.

E não me sinto bem. Experimente: se você fosse você, como seria e o que faria? Logo de início se sente um constrangimento: a mentira em que nos acomodamos acabou de ser LOCOMOVIDA do lugar onde se acomodara. No entanto já li biografias de pessoas que de repente passavam a ser elas mesmas e mudavam inteiramente de vida. 
Acho que se eu fosse realmente eu, os amigos não me cumprimentariam na rua, porque até minha fisionomia teria mudado. Como? Não sei. 


Metade das coisas que eu faria se eu fosse eu, não posso contar. Acho por exemplo, que por um certo motivo eu terminaria presa na cadeia. E se eu fosse eu daria tudo que é meu e confiaria o futuro ao futuro. 


"Se eu fosse eu" parece representar o nosso maior perigo de viver, parece a entrada nova no desconhecido. 


No entanto tenho a intuição de que, passadas as primeiras chamadas loucuras da festa que seria, teriamos enfim a experiência do mundo. Bem sei, experimentaríamos emfim em pleno a dor do mundo. E a nossa dor aquela que aprendemos a não sentir. Mas também seríamos por vezes tomados de um êxtase de alegria pura e legítima que mal posso adivinhar. Não, acho que já estou de algum modo adivinhando, porque me senti sorrindo e também senti uma espécie de pudor que se tem diante do que é grande demais.

domingo, 3 de junho de 2012

'Precisamos falar sobre o Kevin'




Ao ver o filme uma explosão de “por quês?” jorro na minha cabeça. O que leva uma pessoa a praticar atos terríveis. Tudo é muito complexo para mim.

Falta de Deus?... Pode ser. Falta de limite dos pais?... Pode ser. Ele é louco e ponto?... Pode ser. A culpa é da sociedade capitalista que valoriza mais o ter ao ser?... Pode ser. É um conjunto de fatores que podem levar uma pessoa a ser uma bomba atômica.

O filme é baseado no livro e que conta a história de uma mãe que nunca soube lidar com o filho problemático. Ela não tem ajuda do marido, que é muito permissivo com o filho. Também, a mãe se sente dividida entre a profissão e a cuidar dos filhos, acarretando uma relação de culpa entre ela e o Kelvin.

Não queria estar na pele desta mãe, que recebe o julgamento da sociedade. É jogada para os leões vorazes. Ela teve falhas? Sim, mas qual pai nunca pisou na jaca? Já pensou se todos os filhos que têm mágoas dos pais saíssem para matar, o mundo já tinha acabado há muito tempo.

Somos falhos pra cacete. Exigir que os pais fossem perfeitos e responsáveis pelos erros dos filhos, não deixa de ser muita sacanagem. Os filhos não são termômetros para medir o sucesso de uma educação, são indivíduos com vontades próprias. Os pais mondam bonecos em barro para moldar seus frutos imagem e semelhança.

Ao término do filme, continuei com dúvidas e comecei a pensar se há um cálculo que sincroniza os fatores que levam um indivíduo a se tornar um facínora? 

Não existe objetividade. A única solução é pedir ajuda ao bom psicólogo ou psiquiatra para tentar desvendar o que acontece com seu filho. Mas, se pararmos para pensar, eles são seres humanos também e muitas vezes doentes...

Enfim, não tem como entender o caos. O jeito é viver.

sábado, 2 de junho de 2012

A BRANCA DE NEVE E O CAÇADOR




Confesso que estava há muito tempo querendo assistir este filme. Pelos trailers exibidos no youtube, aguçava ainda mais minha curiosidade. 

Queria assistir e ainda comentar sobre as impressões que tive. Mas, surgiu a preocupação de repetir o que já haviam dito. Se for para reproduzir, é mais honesto passar os links. 

Resumindo é uma versão mais sombria da Branca de Neve, evidenciando mais os elementos míticos que são estruturais para a história. Principalmente, as questões edípicas e narcisistas. 

 Tudo bem que a madrasta não é a mãe verdadeira da protagonista, mas o conflito do mais jovem superar o mais velho está evidente. Como o pai de Édipo quis matá-lo como medo de ser superado, a madrasta tenta fazer a mesma coisa. 

Também, encontra-se na narrativa o mito de Narciso que se apaixona pela própria imagem refletida na água, afogando-se em seguida.  A madrasta queria ser a mais bela e acabou se naufragando na própria imagem. Entretanto, nesta versão cinematográfica, a rainha tem uma história pessoal por qual motivo é tão bela, narcisista e cruel.

Outro aspecto interessante do filme é a ligação entre a Madrasta e a Branca de Neve, ao mesmo tempo em que são diferentes, possuem algo em comum. Uma se vê na outra através do espelho. A madrasta é a imagem invertida da Branca de Neve e vice-versa. Viajando na maionese, fiz um vídeo que eu especulava se a madrasta e a Branca de Neve são mesma pessoa e que o duelo das duas se  repetia ciclicamente... 

Doideiras à parte... Nesta versão tanto uma como a outra são mulheres fortes, que com pontos de vistas completamente diferentes, lutam para conseguir seus objetivos. É a repaginada que se fez para adequar as personagens femininas aos dias atuais. O caçador se destacou muito mais que o príncipe. Isso nem se imaginaria anos atrás.

Sinceramente, gostei de assistir o filme. Não o achei óbvio e no final, tive a sensação de que algo ficou no ar, lavando aos espectadores a imaginar outros enredos.





Outras fontes:


Branca de Neve e o Caçador http://www.youtube.com/watch?v=2lzjuYaiGNA


BRANCA DE NEVE E O CAÇADOR (ou A MADRASTA E OS ANÕES) http://www.youtube.com/watch?v=7gUjBvQ6_-o&feature=g-all-lik


Livro NA TERRA DAS FADAS- ANÁLISE DOS PERSONAGENS FEMININOS
Bruno Bettelheim