sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

TATUAGEM ( 2013)

Imagem encontrada no  google


É um filme que faz pensar sobre a liberdade política, do corpo e do amor. Em 1978, uma trupe de teatro mesclando a cultura popular e a erudita, buscam construir uma cultura teatral brasileira. Eles se distinguiam pelo excesso, roupas coloridas, cabelos compridos.

A intenção era chocar e, por meio de performances caracterizadas pela violência estética. Influenciados pela contracultura, se apoderaram da linguagem da paródia e do deboche. O filme tem cenas de nudez, sexo e drogas, mas não foram gratuitas. Porque serviram para mostrar como aquele grupo teatral do final dos anos 70 reagia contra a repressão, principalmente, da censura. Além de a história possuir vários fragmentos de vários estilos da música brasileira e teorias acadêmicas.

Nesse clima de “orgia” e a repressão militar, acontece um amor inesperado entre Clécio Wanderley( o líder da trupe teatral Chão de estrelas) e o Fininha, um jovem militar. Foi uma atração à primeira vista e, principalmente, o garoto se encantou com estilo de vida que Clécio vivia. Tudo bem que Irandhir Santos foi excelente ao interpretar Clécio Wanderley, mas Jesuíta Barbosa como Fininha achei muito bacana, porque como o personagem é bronco e não tem vocabulário, a interpretação foi mais através do olhar e dos gestos. Eu acho complicado para o ator representar minimamente possível. Bem, foi minha opinião de leigo.

Outro fato que me chamou a atenção que o líder do grupo teatral usava o sexo como uma forma de expressão e luta contra a repressão da sociedade ditatorial, enquanto o militar foi uma libertação instintiva de um passarinho que foge da gaiola. Porém Fininha fica numa situação ambígua: ao mesmo tempo em que convive cada vez mais com os integrantes da trupe, ele tem que lidar com a repressão existente no meio militar em plena ditadura.

Enfim, gostei de assistir Tatuagem por me mostrar outro olhar e pensar sobre vários pontos de nossa sociedade.  Agora, mesmo não praticando o que eles fizeram, pois, hoje em dia está mais clara a diferença entre liberdade sexual e libertinagem, que pode causar doenças sexualmente transmissíveis e até o uso das drogas, sabe-se muito bem, os danos causados.