sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

CIVILIDADE URGENTE



“Nada denuncia mais o grau de civilidade de um país e de um povo do que o modo de tratar a coisa pública e a coletividade”. Gloria Kalil - Consultora de moda

Fui para o restaurante, hoje, e fiquei abismado com a falta de educação de certas pessoas. Elas falavam tão alto que tive um nó na cabeça. Hoje em dia, a falta de noção de espaço está generalizada em todas as classes sociais. O lugar que fui não era muito popular e tinha gente que parecia um ogro berrando. Pois é, precisa-se urgentemente de CIVILIDADE. A população está explodindo demograficamente em várias regiões. Por isso, necessitamos de mais educação para termos mais qualidade de vida. Não me refiro à etiqueta de saber qual o talher para comer um peixe, mas sim, discrição de falar baixo num ambiente público, usar o fone e não jogar o lixo na rua. Se o povo tomasse essas pequenas atitudes, seria uma grande revolução dos costumes. Porque não só adianta reclamar do país ou dos políticos, se você no cotidiano faz um monte bosta.