domingo, 28 de dezembro de 2014

Estar alerta é diferente de ser paranoico





“A confiança perdida é difícil de recuperar. Ela não cresce como as unhas.”

“A confiança é ato de fé, e esta dispensa raciocínio.”




Gente!!! Assisti Catfish e ID-Investigation Discovery. Observando alguns casos refirmo o que sempre pensei. Muitas vezes a pessoa é inimiga dela mesma e que o indivíduo carente corre riscos terríveis, pois não faz uma filtragem, acreditando em tudo o que dizem para ele. Por isso, sempre se precisa refletir e voltar para si para que não caia em arapucas. Lógicos que há casos que não se pode evitar, por exemplo, um meliante me assalta e dá um tiro fatal, isso não tem como prevenir, mas, existem outras situações que podemos evitar, como não acreditar em tudo o que se diz para você. Tipo, alguém chegar e dizer que resolverá todos seus problemas e que fará tudo por você. Quando isso acontece, tem algo estranho!! Logo, esses programas são bacanas, pois ajudam a gente se prevenir um pouco dos outros e da gente mesmo. Porém, não se pode desconfiar de tudo e de todos. A capacidade de confiar é fundamental para nossa vida e não só existem mazelas no mundo, existem muitas coisas belas como relacionamentos verdadeiros que fazem diferença no mundo. Poxa, quantos médicos e voluntários foram para África no maior surto de Ebola, indivíduos que cuidam de animais doentes e mau tratados na rua e ilustres anônimos que salvam vidas em enchentes ou outras catástrofes naturais... Enfim, ser alerta não é ser paranoico, não pode esquecer-se disto.