sábado, 1 de novembro de 2014

TRANSFERÊNCIA



Imagem encontrada no google 

Sempre observei algumas pessoas que transferem raiva, amargura, inveja e recalque para um assunto o qual pode ser futebol, política, religião ou qualquer coisa que consideram interessantes. 

Então, não utilizam argumentos e sim ofensas. Consideram o debate como um campo de batalha. Porém, será que lutam realmente por seus ideais ou querem nos descarregar frustrações acumuladas ao longo do tempo?

Uma vez, presenciei uma discussão completamente inútil de duas pessoas. Disputavam quem tinha mais conhecimento. Aí, comecei a pensar se na verdade não discutiam entre si, mas com projeções do passado de outros que o machucaram ou disseram que nunca vencerão na vida.

A transferência pode ajudar paliativamente, contudo com o tempo poderá prejudicar ainda mais, levando os indivíduos ao descontrole. Por isso, acho importante ter uma educação mais reflexiva em relação à vida. Tudo bem que saber português, matemática, etiqueta e línguas são importantes para se conseguir um bom emprego e uma posição social, mas tudo isto está relacionado com a superfície da personalidade, agora, as profundezas dos ser que sempre arranjam um jeito de emergir na consciência? Ninguém nos ensina a lidar esse lado obscuro.

Hoje, com as redes sociais, onde há diversos perfis falsos tornou-se  muito fácil denegrir o outro, praticando esse mecanismo de transferência.  Salvo pelo anonimato, um indivíduo pode descarregar todo seu recalque. Outro fato, também, é que muitos pensam que as redes sociais são um campo livre para falar qualquer negócio, diferente da vida real. Mas, poxa vida, existe outra pessoa de carne e osso por de trás daquela foto e perfil.

Enfim, liberdade de expressão é o direito que cada um tem para manifestar suas ideias. Entretanto não se pode confundir com falta de educação e esculacho. E se está com algum problema interno, resolva consigo mesmo. Ninguém é privada de ninguém pra se despejar bostas emocionais!!