sábado, 15 de novembro de 2014

BONDADE GENUÍNA


Philomena




Quando terminei de assistir ao filme PHILOMENA, fiz uma relação com outra história que já vi há algum tempo, Em Nome de Deus. As duas películas abordam os maus tratos que jovens pobres e abandonadas sofriam nos conventos da Irlanda no passado. Muitas eram expulsas de casa, porque iniciavam a vida sexual antes do casamento ou se tornavam mães solteiras. Para piorar a situação, eram feitas de escravas pelas freiras para trabalhar horas na lavanderia. Em PHILOMENA além de serem tratadas pior que animais, seus filhos eram vendidos para famílias ricas e estrangeiras ou artistas de cinema.

Philomena é uma jovem que fica grávida, depois de uma aventura com um desconhecido e é mandada para um convento. As “irmãs de caridade” tiram o filho de seus braços para vendê-lo a outra família. O menino é adotado por um casal americano e desaparece no mundo. Após sair do convento, Philomena começa uma busca pelo seu filho, junto com Martin Sixsmith , um jornalista de temperamento forte. Viajam aos Estados Unidos, descobrindo informações sobre a vida do filho da protagonista.


Depois do filme, comecei a refletir e percebi que minha fé não foi abalada, porém fiquei ainda mais desacreditado das instituições religiosas, que são administradas por pessoas. Como dizem por ai: “ Quando entra gente, fodeu!”. A personagem principal mostrou ter mais religiosidade que muitas freiras virgens e que sabem rezar como ninguém. Philomena não queria se vingar do convento, só desejava reencontrar o filho e amá-lo, já que ele foi tirado à força. Ensinou até para o jornalista cético que os bons sentimentos são importantes para o mundo. 

Bem, mudando um pouco de assunto, é que acho estranho essas pessoas que se dizem espiritualizadas, conhecem a PALAVRA e colocam frases no carro: “ DEUS É FIEL”, “ FOI DEUS QUE ME DEU” e “ DEUS ME PROTEGE”. Mas, só ficam na superfície dos ritos religiosos e não procuram ser éticos no cotidiano. Avançam os sinais de trânsito, ultrapassam de forma irresponsável outros veículos e, quando podem, praticam falcatruas.  Outro fato... O hímen é somente um pedacinho de pele que não tem nada a ver com o caráter de uma mulher. Há tantas médicas e enfermeiras que vão às áreas carentes e praticam a solidariedade genuinamente. Possuem uma alma boa, independente dos parceiros que tiveram ao longo da vida.

Acredito na bondade genuína, que é muito diferente da construída pelos valores cristãos, os quais servem para manipular os indivíduos.