sexta-feira, 4 de abril de 2014

Errata



Bem, errar é humano. Quem nunca se equivocou jogue a primeira pedra. Mesmo que houve uma inversão dos resultados da pesquisa, o certo é: 26% concordam com a afirmação "Mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas" enquanto 70% são contra essa ideia.


Quando soube da pesquisa na semana passada, escrevi e fiz um vídeo que não tem como negar que ainda vivemos num país preconceituoso e machista. Apesar do erro, continuo a reafirmar essa ideia. 


Os outros dados, segundo os pesquisadores, estão corretos: 
"A correção da inversão dos números entre duas das 41 questões da pesquisa enfatizadas acima reduz a dimensão do problema anteriormente diagnosticado no item que mais despertou a atenção da opinião pública. Contudo, os demais resultados se mantêm, como a concordância de 58,5% dos entrevistados com a ideia de que se as mulheres soubessem como se comportar, haveria menos estupros. As conclusões gerais da pesquisa continuam válidas, ensejando o aprofundamento das reflexões e debates da sociedade sobre seus preconceitos. Pedimos desculpas novamente pelos transtornos causados e registramos nossa solidariedade a todos os que se sensibilizaram contra a violência e o preconceito e em defesa da liberdade e da segurança das mulheres."

Agora, deve-se entender que a realidade é imensurável e por isso uma pesquisa de opinião sempre terá margem de erro. Dependendo de como a pesquisa é feita e a interpretação dos entrevistados, acarretará vários pontos de vistas levam a uma manipulação de certo grupo. Inclusive, se o entrevistado está falando o que sente realmente.


 Um aprendizado que assimilo desse acontecimento é refletir mais sobre a notícia. Não ter pressa de falar minha opinião. Mas, os enganos servem para o conhecimento e a refletir sobre o mundo onde vivemos.