quarta-feira, 6 de novembro de 2013

“SI”




Ultimamente, penso como é terrível a palavra “si”. Pensar nas várias possibilidades se fosse para outro caminho, se tivesse terminado aquele curso ou se pudesse reviver o que vivi para evitar os erros do passado.

O “si” é cruel e não vou deixá-lo mais me consumir. Ao longo da minha existência vivi acertos, erros e basta! O tempo não volta.  Lógico que fazer autocrítica é construtivo ao crescimento pessoal, agora ficar se lamentando com probabilidades perdidas, é perda de tempo.


Desculpa “si”, vai catar coquinho em outra freguesia.