quarta-feira, 20 de novembro de 2013

DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA






É muito importante para a construção da identidade dos negros, que se for analisar os dados estatísticos de qualidade de vida, social e econômico estão muito inferior em relação aos negros e ainda sofrem preconceitos raciais. Nos casos de morte violente, a quantidade de jovens negros é muito grande.

Depois da abolição foram largados sem nenhum tipo de ajuda. Não direi que sinto o que sofrem, pois sum negro sabe o que é ser vítima de um preconceito racial. Nunca houve políticas públicas consistentes para melhorar a situação deles.

Se parar para pensar na construção da identidade negra, quando os europeus os traficavam, não havia “negros” e sim diversas etnias que falavam diferentes dialetos; até, tribos rivais lutavam e a vencedora vendia a tribo perdedora. Logo, essa diversidade de povos foi se miscigenando, tornando-se a “ a raça negra”.

Também, o importante ressaltar que os negros sempre lutaram contra a escravidão, fugiam para construírem os quilombos. Apesar, do “mito” que construíram que o Brasil é pais sem conflitos de raças e pacato, mentira, sempre houve lutas sociais, mesmo que a História Oficial as ignorou por vários anos.

Realmente estudar o Brasil é muito complexo e aí as pessoas comparam com os Estados Unidos, onde ocorreu a Apartheid dos brancos e dos negros. Os últimos não podiam frequentar o mesmo espaço que os indivíduos de cor branca. Lá, foi declarado e os negros, através dos movimentos civis, conseguiram conquistar seus espaços. Já aqui, sempre houve um mascaramento e o preconceito ficou nas entrelinhas por muitos anos. Só agora, que todos nós começamos a despertar que não vivemos num país tão tolerante.

A consciência negra é importante para outras “raças” que vivem no país, a fim de fazer uma reflexão profunda de qual Brasil queremos construir. O povo brasileiro é tão misturado que se precisa respeitar verdadeiramente a diversidade de povos que fundaram o país. Ao mesmo tempo, buscar união para formar o povo brasileiro e formar um patriotismo reflexivo( não o ufanista), o qual forme cidadãos conscientes.  

Uma observação óbvia... Existe raça humana e não raças humanas. Biologicamente somos todos iguais e nos diferenciamos através da cultura de cada povo e insignificantes características físicas. 

***
Crônica relacionada: http://cronicas-ideias.blogspot.com.br/2013/03/o-importante-e-ser-uma-boa-alma.html