sábado, 28 de maio de 2011

CARTAS A UM JOVEM POETA








Não é um livro que aborda questões de arte, mas da vida em geral. Ao longo das cartas, percebemos como é importante fazer uma viagem para de dentro de si e aproveitar os momentos de solidão a fim de refletir o que realmente desejamos.

Um jovem Franz Kappus aspira-se a ser poeta e começa a se corresponder com Rainer Maria Rilke. No primeiro momento, o veterano poeta diz que não há formulas e que o aspirante precisa buscar seu próprio caminho. “ As coisas em geral não são tão fáceis de apreender e dizer como normalmente nos querem levar a acreditar; a maioria dos acontecimentos é indizível, realiza-se em um espaço que nunca uma palavra penetrou, e mais indizíveis do que todos os acontecimentos são as obras de arte, existências misteriosas, cuja vida perdura ao lado da nossa, que passa.”

O livro faz uma reflexão sobre a arte e como não devemos nos seduzir pelos modelos prontos. A busca de construir a nossa identidade vem de muitos momentos de introspecção.

Rilke desempenhou o papel do verdadeiro mestre, fazendo o jovem poeta encontrar as próprias soluções para os problemas. Conversou de igual para igual e não lhe empurrou fórmulas prontas.