quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Na Carne e na Alma





Assisti ao filme ontem no Canal Brasil e ele mostra como é tênue a fronteira entre o amor e obsessão.  Rodrigo é um jovem perdido e conquistador, relaciona-se superficialmente com as mulheres que encontra pelo caminho. 

Na realidade, é ignorado pelos pais separados. Sua vida se resume a botecos, faculdades e ora na casa da mãe ora na casa do pai. 

Na faculdade, ele conhece Mariana, uma jovem que o desperta para um amor intenso.

A estética do filme não é tradicional, foi filmado com câmera digital. Tornando as cenas mais reais. 

As cenas de sexo são viscerais, chegam a ser escatológicas, por mostrarem a paixão que Rodrigo sente por Mariana. Rodrigo queria Mariana em todos os sentidos e maneiras, até sua urina e fezes. Logo, o filme não mostra um amor sublime, porém feio e doentio. Expõe um lado muitas vezes oculto deste sentimento.

Mariana, aparentemente fútil e vazia, tem seus traumas familiares. Ao mesmo tempo que acha Rodrigo um inútil, sente uma forte atração por ele. 

A história não deixa de ser um exemplo de rito de passagem da juventude e da vida adulta. O amadurecimento é doloroso, mas necessário para a gente crescer.

Ao pesquisar na internet, descobri que o filme foi baseado no romance "Deusa Cadela", de André Abi Ramia. Já anotei na lista dos livros que quero ler.