quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

TRISTE





“Do fanatismo à barbárie não há mais do que um passo.”

Agora, o quê fazer com fanáticos? Ou se tolera ou mata. Não adianta tentar mostrar argumentos racionais sobre o direito da Imprensa ou a liberdade de expressão. Por exemplo, qual a lógica de atacar um jornal só porque publica charges críticas e de humor sobre questões sociais, políticas e religiosas?  O indivíduo que tem o bom senso nunca praticará este ato.

Mas, Os fanáticos vivem fechados em si e nem seguem à risca os verdadeiros valores religiosos. Vangloriam a morte como se fosse a glória deles com o intuito de ingressar ao "Paraíso". 


Ainda mais, que tudo está tão pulverizado, que a gente não saberá de onde o tiro partirá. Agora, não só existem fanáticos religiosos, mas, integrantes de partidos políticos, de torcidas organizadas de futebol entre outros. Caramba, o que fazer com toda essa gente que torna o mundo mais triste e sombrio? 

Podem me chamar de covarde, porém, prefiro tolerar e nem me aproximar desse tipo de gente que em nome de ALGO MAIOR extermina qualquer coisa que atravesse o caminho.

***

Observação: Concordo que qualquer tipo de violência precisa ser combatido. Os terroristas que atacaram um jornal na França cometeram uma barbaridade.  Mas, a questão que quero levantar é como lidar com os fanáticos, já que vivem em outra perspectiva. Ou os ignora ou fica nessa guerra constante.