sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

CRONICA ANTIGA (A Festa no Castelo de Moacyr Scliar)

A Festa no Castelo




O romance não é extenso, mas a narrativa prende o leitor por contar duas histórias: O mundo requintado da aristocracia idealista e a amizade de um velho sapateiro e um jovem idealista, em que vivem no Sul do Brasil nos meados dos anos de 1964, ano do Golpe militar. No início as histórias parecem não ter ligação, contudo com o passar das páginas, percebe-se que há uma intercessão.

Além de contar um pouco a história do Brasil recente, A Festa no Castelo faz uma crítica tanto da Sociedade Capitalista exploradora como aos revolucionários idealistas da época. Principalmente a difícil tarefa de conciliar a teoria socialista ou comunista com a prática. O narrador e protagonista, o jovem idealista Fernando, deixa claro que as histórias que contava não eram o que gostaria de narrar. Há uma certa desilusão por não concretizar os seus sonhos idealistas e revolucionários de ajudar o povo. O seu melhor amigo, o sapateiro comunista Nicolla Colleti se frustra também e Fernando se decepciona com ele. O livro mostrou o processo de desencantamento que sofremos quando crescemos, principalmente, uma geração que acreditava que o socialismo acabaria com as injustiças do Capitalismo e a falta de liberdade.

Conciso Moacyr Scliar evidenciou num prisma particular os paradigmas e ideais de uma época.