domingo, 13 de novembro de 2011

EU TE AMO, CARA( Nova versão de uma crônica)




O que achei mais interessante no filme é a mudança de foco, ao invés do romance, tema batido nas comédias românticas, o roteiro narra a história de um homem que sempre se concentrou nas relações amorosas e com isso não criou laços de amizade.

Ele não tem amigos e este fato virou um problema, quando estava prestes a se casar e não tinha ninguém para ser seu padrinho. Portanto, começa a sair com vários caras a fim encontrar um amigo-padrinho.

O filme tem todas as situações clássicas e bizarras de comédia, mas existe certa originalidade ao protagonizar a busca pela amizade, que é tão quanto importante que a busca pelo amor.

Logo, comecei a me lembrar de casos de algumas pessoas que valorizam em demasia o amor romântico ou o de amizade. Por exemplos, homens que sentem atração por mulheres, mas gostam de passar a maior parte do tempo com os amigos e mulheres que acontecem a mesma coisa. Sentem o desejo do sexo oposto, mas acham chato ficar o tempo todo ao lado dos parceiros amorosos. Prezam muito mais a fidelidade da amizade.

Cada um tem um pensamento, julgar não compete a ninguém. A nossa sociedade atual valoriza o amor erótico e romântico. Se você não gozar e não encontrar sua cara metade é um recalcado. E esta imagem estereotipada não é verdadeira. Quantas pessoas casadas são infelizes...

Temos que ter liberdade de escolher. Bem, fugi um pouco do tema do filme. É que tenho uma tendência a viajar na maionese. Mas, vale a pena ver o filme, porque é original, colocando o gênero da comédia romântica para falar sobre amizade.