segunda-feira, 28 de novembro de 2011

BOM SENSO

O Bom Senso
Imagem retirada na Internet


Há tempos atrás li uma matéria que entrevistas vários humoristas de diferentes gerações. A pergunta principal era qual o limite para piada? E ponto em comum entre eles foi o bom senso.

Confesso que nunca entendi muito bem o que é bom senso. Sempre achei seu significado subjetivo demais.

Então, fui fazer uma pesquisa rápida na internet. É um conceito utilizado no raciocínio ligado aos princípios de sabedoria e de razoabilidade, e que determina a competência média a qual um indivíduo possui tem de adaptar normas e costumes às determinadas realidades, podendo fazer bons julgamentos e escolhas.

Não deixa de ser uma forma de "filosofar" espontânea do homem comum, também chamada de "filosofia de vida", que conjetura certa capacidade de organização e independência de quem pondera o conhecimento de vida cotidiana.

Diferente do senso comum, que é um conjunto de crenças e proposições que aparecem como normal, sem estar amarrado numa averiguação particularizada para alcançar verdades mais profundas como científicas ou filosóficas.

Portanto, o bom senso se relaciona com a ética e o senso comum com a moral dos costumes. Muitas vezes, há uma confusão entre estes dois conceitos. Causando uma subjetividade do que é aceitável ou não para cada pessoa.

No caso do humor, os humoristas usam o senso comum como inspiração para as piadas. Não só reproduzem os preconceitos, mas com forma irônica ou sarcástica, pinta com cores grotescas um costume com forma de crítica. Entretanto, há outros que reproduzem preconceitos, reafirmando o status quo da sociedade.
Exemplos:



O bom senso no humor como na arte é muito discutido. Liberdade de expressão não pode significa esculachar os outros, ao mesmo tempo, a patrulha do politicamente correto terá um efeito de censura. Como sair desse problema? O bom senso talvez ajude a buscar a forma adequada para exercer a liberdade de expressão.