quarta-feira, 13 de julho de 2011

TRAUMA



“Em grego significa ferida e que, quando não são sanadas, as pessoas se tornam monstros”. Ouvi esta frase no filme Ilha do medo(2010) .  Teddy Daniels (Leonardo DiCaprio) investiga o desaparecimento de um paciente no Shutter Island Ashecliffe Hospital, em Boston. No local, descobre que os médicos realizam experiências ilegais e antiéticos com os pacientes. Teddy procura mais informações, porém a resistência dos médicos o atrapalha. Quando um furacão deixa a ilha sem comunicação, diversos prisioneiros escapam, tornando a situação ainda mais perigosa. O filme é um labirinto, onde não sabe o que é verdade ou mentira.

 Depois de ouvir a frase, lembrei-me do personagem Heathcliff do livro O MORRO DOS VENTOS UIVANTES de Emily Brontë, um órfão que sofreu a várias humilhações, tornando-se triste e rústico. No início da história era apaixonado pela Catherine Earnshaw e maltratado pelo o irmão mais velho. Nutria um amor por Catherine e era correspondido; entretanto, ela decidiu se casar com um pretendente de posses, por esse ter melhores condições de sustentá-la.

Heathcliff saiu do Morro dos Ventos Uivantes e, anos mais tarde, tornou-se um indivíduo rico, vingativo e cruel. Capaz de destruir a si mesmo e aos outros ao redor. O personagem não era mau por natureza, mas o acumulo de sofrimentos o fez desse jeito. Como Norma, a protagonista da atual novela Insensato Coração. Ela foi injustiçada e se tornou uma pessoa obsessiva e vingativa, porque as feridas que marcaram sua alma, sangram até hoje. Os dois personagens são dois animais feridos que dão patadas por todos os lados.

Já encontrei muitas pessoas amarguradas que prejudicam os outros, não por maldade pura, e sim para tentar se vingar de alguma situação passada. Querem se defender atacando e não conseguem discernir que nem todos querem prejudicá-los. Não conseguem crescer com a dor e querem deixar de serem vítimas a qualquer custo, para se tornarem algozes.

Realmente, eu esteja teorizando demais. Como diz minha mãe: “ Pimenta nos olhos dos outros é refresco.”. E se eu encontrar uma pessoa que estimule o pior de mim? Será que não vou me transformar numa pessoa vingativa?

Não sei do que sou capaz. Mas, tomara que uma alma boa sempre me dê conselhos bons para seguir em frente e sem traumas. Também, que sempre encontre bons livros para ter um pouco de conhecimento sobre a alma humana.