sábado, 9 de julho de 2011

outros olhares

Não sou muito ligado em música, mas há algumas canções dialogam com minha alma. Nunca me canso de ouvi-las e aos poucos fazem parte de mim, sinto-me antropofágico.
Esta música traz reflexões que sempre tive. Prezados possíveis leitores, quero compartilhar com vocês:












Sos D'un Terrien En Detresse (tradução) Grégory Lemarchal


Por quê eu vivo, por quê eu morro?
Por quê eu rio, por quê eu choro?
Eis o S.O.S.,
De um terreno em desespero

Jamais tive os pés sobre Terra
Gostaria mais de ser um pássaro [seria melhor ser um
pássaro]
Estou mal na minha pele.

Queria ver o mundo ao contrário
Se por ventura fosse mais bonito
Mais bonito visto do alto [de cima]
Do alto [de cima]

Sempre confundi a vida
Com as histórias em quadrinho
Tenho como os desejos de metamorfose
Sinto alguma coisa
Que me atrai
Que me atrai
Que me atrai para o alto

Grande loteria do universo
Não tirei um bom número
Estou mal na minha pele

Não tenho o desejo de ser um robô
"Metrô, Trabalho, Soneca".

Por quê eu vivo, por quê eu morro?
Por quê eu grito, por quê eu choro?
Creio captar ondas
Vindas de um outro mundo
Escrever
Jamais tive os pés sobre Terra
Gostaria mais de ser um pássaro [seria melhor ser um
pássaro]
Estou mal na minha pele.

Quereria ver o mundo ao contrário
Gostaria mais de ser um pássaro [seria melhor ser um
pássaro]
Soneca, criança, soneca.



http://www.vagalume.com.br/gregory-lemarchal/sos-dun-terrien-en-detresse-traducao.html#ixzz1Rd1rS6qI