domingo, 22 de julho de 2012

INTERVALO/ CRÔNICA ANTIGA




POSSE

 Estava na casa do minha tia V. Antes, todos nós fomos almoçar num lugar bem agradável. Comemos bastante e o sono bateu à porta dos meus pais; a minha sobrinha ficou desenhando na sala, tia V assistia tevê na sala do e eu navegava na INTERNET. Quando ia desligar o computador, V pediu para ler um conto, que acabara de fazer. Li e adorei. De repente, um sentimento de posse aflorou em meus pensamentos; queria ter escrito esse conto. Fico com vergonha de desejar algo alheio, mas antes do homem existe a besta e mesmo que nos consideremos evoluídos há resíduos.