terça-feira, 24 de julho de 2012

"A DIFÍCIL ARTE DE AMAR"

Estou com preguiça, mas escreverei sobre o vídeo há pouco.

É o seguinte, sempre me recordo com o episódio do rei Salomão, quando deu a sentença de partir a criança ao meio para acabar com a disputa das mães. Então uma das mulheres gritou para entregar o filho para outra e Salomão decidiu que ela era a mão verdadeira.

Comecei a pensar que esta história ilustra uma bela forma de amar. Ela renunciou por amor, mesmo que ficasse distante do filho. 

Muitas vezes, o amor é confundido com posse e obsessão. As pessoas acham que o outro é um pertence como uma casa ou carro.  Mas, como dizem por aí: “ Ninguém é de ninguém.”. Amor não é dominação, mas compartilhar.

Todavia, qual é a forma certa para amar? Não existe uma resposta pronta. Pelo contrário, há um labirinto de subjetividades e relativismos.

Recordo-me que sempre gostei de um título de um filme “ A DIFÍCIL ARTE DE AMAR”( É uma tradução, não sei se no título original em Inglês é assim.), pois reflete minha ideia de como é complicado achar o jeito certo de amar. 

Não desejar mudar o outro pelo seu bel prazer e não esperar demais da pessoa amada, causando sofrimentos para ambos os lados. 

Repetindo a pergunta: Qual é a forma certa para amar? Sabe... Poderia continuar a escrever várias coisas, mas seriam palavras óbvias e que todo mundo já ouviu na vida. Então, caros leitores, passo a bola para vocês responder essa pergunta em particular. 

Eu, já estou ensaiando algumas coisas...