sábado, 25 de julho de 2015

ZORBA O GREGO ( 1964)



Depois de assistir ao filme, comecei a pensar que o conhecimento dos livros não basta para compreender o mundo, mas, viver é preciso também.  O encontro inesperado entre o grego Zorba e o escritor britânico mostra como o segundo mesmo com todo seu conhecimento acadêmico, não conseguia compreender certas coisas, os quais o primeiro conhecia intuitivamente.

Então, comecei a pensar que um artista em geral além do saber formal precisa viver simplesmente e ser intuitivo. Por exemplo, lógico que um escritor necessita de um vocabulário rico e conhecer as normas gramaticais, para tornar seus textos consistentes e coerentes. Entretanto o que adianta manuscritos perfeitos se não passam emoção? Um escritor é um contador de história e, além da técnica, precisa de estímulos externos. Adquirir experiências, compartilhando-as com os outros, como os seus ancestrais faziam: Os contadores de histórias que narravam aventuras ao redor da fogueira para várias pessoas.

Outros aspectos que achei interessante, é que mostra que mesmo em um povoado distante, existe violência, principalmente, contra o diferente. Uma viúva que não queria sair com ninguém sofre preconceito por causa disto e todo povoado se voltou contra ela. E quando uma senhora, uma velha prostituta francesa, ficou doente e faleceu o pessoal do povoado entrou para saquear.

O filme expõe a grandiosidade de viver e de como seu lado grotesco chega a ser absurdo. Apesar dos acontecimentos ruins, precisa-se seguir em frente, já que a vida não para.  

Zorba foi testemunha disso tudo. Ao invés da depressão, decide aproveitar o momento de cada vez, apesar das derrotas.  Ensinou ao escritor britânico a fazer o mesmo, que percebeu que aquele grego de aparência humilde lhe ensinou muito mais sobre a vida do que seus livros.

Inclusive, mostrou que se precisa um pouco de loucura para suportar certos acontecimentos tristes. A razão e o conhecimento acadêmico não conseguem dar conta e se precisa da ajuda da loucura.

***
O filme foi inspirado em um livro, irei adicioná-lo na minha lista.