sábado, 28 de março de 2015

“TERRORISTAS DE CAUSA PRÓPRIA”


Este caso do copiloto alemão me faz pensar na existência de um terrorista que não é ligado a uma religião ou a questões políticas, vive em seu próprio mundo e decide deliberadamente colocar seus planos psicóticos em prática. Pode ser um caso isolado, mas, já assisti vários casos, inclusive no Brasil na escola de Realengo, a frequência que estes episódios ocorrem ao longo dos anos. Logo, não acho que é uma ocorrência tão isolada assim e não só os psiquiatras devem estudar este comportamento. As autoridades mundiais e cientistas sociais precisam analisar os motivos que levam indivíduos a praticarem atos bárbaros por motivos aparentemente subjetivos e herméticos.

Outra questão, este tipo de "terrorismo" é muito mais imprevisível do que o ligado às facções religiosas e políticas que são bem ou mal mapeadas. Mas, estes terroristas de “causas particulares” são muito mais complicados, pois como se pode monitorá-los se são muitas vezes cidadãos pacatos e de conduta “exemplar”? Portanto, vem a discussão da liberdade e da segurança, não se pode ser livre se não existir segurança, por outro lado, para ter segurança precisa-se se abdicar um pouco da liberdade. Este ponto é bem complexo hoje em dia, porque se optar exageradamente por mais segurança, não se tem privacidade e se viverá em uma ditadura, entretanto, deve-se refletir sobre a segurança de como é também importante, sem ela como se pode usufruir dos direitos básicos do indivíduo como, por exemplo, de ir e vir a qualquer lugar?

 Enfim, estou preocupado com o rumo do mundo e de que o ano que vem terá Olimpíada aqui no Rio de Janeiro e a pergunta que não quer sair da minha cabeça... Será que estamos preparados para este tipo de coisa? Senhor proteja-nos POR FAVOR.