domingo, 8 de março de 2015

Historinhas




De repente, vejo a danadinha a descansar no parapeito do basculante. Já tirei uma foto dela, mas como a vidraça é translúcida, não dá para vê-la nitidamente, só seu contorno. Ela fica ali o tempo todo. Quando acabo de anotar, vejo-a ainda basculante. Sinto pena e percebo como sou tolo, ao inventar uma história triste para ela e me sentir alguém especial por ser benevolente com ela. Ela é o que é e está mais próxima do divino do que eu, que fico inventando "historinhas".