domingo, 26 de outubro de 2014

Robocop( 2014)

Robocop

Passou ontem(25/ 10/ 2014) na tevê paga, quase mudei de canal. Mas, resolvi assistir por causa do José Padilha, que o dirigiu. Realmente, fiquei surpreso com o remake. Abordou com certa profundidade sobre questões éticas e morais da sociedade como, por exemplo, a lógica e a razão sobrepõem os sentimentos? Será que as máquinas desempenham melhor qualquer atividade em relação ao homem, o qual é imperfeito e corruptível?

Lógico que é filme de ação, entretanto, no início, os princípios éticos foram abordados, proporcionando a reflexão. Lembrei-me do filme Metrópolis, que o tema principal era a metáfora "O mediador entre a cabeça e as mãos deve ser o coração!". A máquina pode ser tecnicamente mais eficaz que o homem, porém, ele possui sentimentos que são fundamentais para se tomar uma atitude.

O filme mostra, também, como as corporações manipulam as mídias e governos. Homens frios que colocam o poder em detrimento dos outros. Queriam usar Robocop como objeto descartável, sem se importar de sua condição humana e com a família dele.

Tudo bem que é ficção científica, todavia ao se observar a História e as notícias, o enredo do Robocop não é tão irreal assim. É bem plausível. Quando penso nessas corporações dominam o mundo, sinto calafrio na espinha.