reencontro


Reli um trabalho antigo de faculdade. Meu Deus, quanta pretensão. Fora os erros grotescos de português.  Se eu  continuo me equivocando, imagina há quinze anos. Queria saber o pensava na época? Só encontro neblina. Foi bom reencontrar meu antigo eu e perceber que não está morta, mas vivo dentro de mim. Ainda preciso dele para sonhar e ele precisa de mim para fincar os pés no chão.


DUAS FORMAS DE OBTER CONHECIMENTO

Por milhões de anos, a Terra era muito seca. Não existia nenhuma forma de vida. O céu era habitado pelas pessoas, que viviam no Reino Sagrado Celestial e elas viviam numa harmonia profunda. Tudo, porém, começou a desabar, quando o rei Darv pediu ao seu irmão bastardo Dudv,  para passar uma noite de amor com a rainha. Darv era estéril e para não ser desonrado, precisava ter um filho para manter o seu nome.
                Dudv queria proteger o irmão e a harmonia que havia no reino celestial, por isso engravidou, a esposa do irmão. Depois, o rei como tinha uma boa relação o com seu irmão bastardo, deixou Dudv ser o mestre do príncipe Lodv. Desta forma Dudv iria acompanhar de perto a educação de  filho.

Estava tudo indo muito bem, até que Milandra surgiu e, sem querer, destruiu a harmonia entre pai e filho. Ela se apaixonou por Dudv, que resistiu enquanto pode, porém, não conseguiu controlar a paixão, desde que a viu à primeira vez. No entanto, ficava atormentado, porque Lodv também se interessou por Milandra e o príncipe a queria de qualquer maneira. Dudv quis se afastar dela, não conseguiu, ficando dividido entre o filho e a amada.
Lodv descobriu o romance, louco de paixão invadiu o quarto de Dudv e levou um choque, quando viu Milandra nua e enroscada no corpo de seu professor. Enlouquecido,  empurrou Milandra para fora da cama e estrangulou o seu própria pai. Dudv não reagiu, não quis lutar com seu próprio filho. Milandra desesperada exclamou: Você matou seu próprio pai!! Ludv!! Perplexo, com a descoberta e arrependido por matar seu pai, mata-se também.

Milandra entrou em uma melancolia profunda, chorou dias, noites, meses e anos. Suas lágrimas escorreram do céu e penetraram na Terra seca e sem vida, começando a surgir rios, lagos e oceanos. Os seres celestiais resolveram descer, por causa da diversidade de cores que havia em baixou do céu.
Por isso, a Deusa Milandra é muito venerada, porque ela fez a chuva que permitiu o desenvolvimento das colheitas e a criação da natureza. Muitas aldeias fazem canções, danças, poemas e sacrifícios para agradecer à Deusa Milandra.
Essa lenda hipotética serve para mostrar como nas formas de conhecimento pré-filosóficas, as pessoas buscavam o conhecimento, através do sobrenatural. A religião, o misticismo e as artes eram formas de responder perguntas sobre temas que as pessoas tinham necessidade de saber. A imaginação fértil para criar histórias, como forma de explicação ao que acontece no mundo empírico, caracteriza que o Homem precisa de uma explicação para tudo. Mesmo por mitos ou por outros caminhos, nós sempre queremos respostas.
A filosofia surgiu como nova forma de conhecimento, porque as pessoas não estavam mais satisfeitas com a antiga forma de conhecimento. “Os pré-socráticos foram os primeiros que, nas cidades gregas da Ásia Menor por volta Século VI A.C., procuravam desenvolver formas de explicação da realidade natural, independente do apelo de divindades sobrenaturais. É nesse sentido que dizemos que os filósofos pré-socráticos romperam com a tradição mítica, e é por isso também que denominamos seu pensamento de naturalista, por visar explicar a natureza a partir dela própria, entender os fenômenos com base em causas puramente naturais” (Marcondes, DaniIo in «Textos básicos de Filosofia» pag. 11). O filósofo é um eterno jovem rebelde que sempre busca novos conhecimentos e horizontes. Não quer ficar preso a coisas pequenas. Existem muitas correntes filosóficas, os pré-socráticos (natureza); Sócratas (ética); Platão (matemática e estoicismo); Aristóteles (Histórias das sociedades e epicurismo); Bacon ( introdução de noções científicas), e muitos outros.
Em minha opinião a filosofia foi a nave mãe de todas as ciências. As ciências exatas como matemática, física e engenharia, tiveram muita influência das teorias desenvolvidas pelos filósofos antigos. A Biologia e a Medicina têm muita herança dos filósofos da natureza. Li no jornal outro dia, que a filosofia trabalha com a abstração e a lógica. Esses aspectos são muito importantes para os cientistas, porque eles não podem só observar empiricamente o mundo. Seus instrumentos científicos não são suficientes para formar um conhecimento; necessita fazer deduções, inferir categorias e usar o cérebro no desenvolvimento de pensamento abstrato.

Postagens mais visitadas deste blog

Idéias do canário-Machado de Assis

FILME ANTICRISTRO

Escritores da Liberdade