segunda-feira, 19 de maio de 2014

AUTENTICIDADE




Se eu tiver que chorar, vou chorar. Se eu tiver que cair no abismo, cairei. Não sou aço, mas de carne e osso. Não vem com frases feitas de que " homem não chora", o que adianta dissimular solidez e ruir a alma com o pranto por dentro? Não sou aquele que carregará o peso do mundo nas costas, desculpem se decepciono. Sou assim, um homem comum que tenta se equilibrar na balança das próprias virtudes e defeitos. Não vou vestir uma máscara que não é minha, prefiro buscar outras que definam quem sou realmente.

A autenticidade pode ter um preço muito alto. Mesmo assim, prefiro correr o risco.

***