sábado, 6 de agosto de 2011

DAISY MILLER( 1879) DE HENRY JAMES


A Volta do Parafuso

Comprei um livro que continha duas histórias do Escritor Henry James. Já comentei sobre A VOLTA DO PARAFUSO, que era uma história de terror e psicológico.

Daisy Miller narra a história de uma jovem americana abastada que viaja pela Europa com a mãe e o irmão mais novo. Ela é impulsiva e deseja curtir a vida ao máximo, desprezando a etiqueta da aristocracia do “velho mundo”. Há certo suspense, que prende o leitor, principalmente, em relação ao destino da jovem.

O contexto histórico da narrativa se caracteriza no final do século XIX, quando o EUA estava se consolidando como uma potência econômica mundial e os “novos ricos e aristocratas” norte-americanos iam para o continente europeu para aprender e usufruir a cultura nos nobres seculares do “velho mundo”.  Daisy entrou em choque com os protocolos dessa sociedade, queria viver intensamente e era muito rebelde.


A etiqueta sempre foi um mecanismo de poder, que excluía o que não sabiam as normas e o que conheciam, proporcionado assim uma “ seleção natural”. A elite sempre vivendo em suas festinhas particulares e segregavam os que não faziam parte disso.

Daisy pagou um preço muito caro pela sua liberdade. Muitos viraram a costa para ela. Por considerarem uma jovem libertina. Entretanto, era um indivíduo de espírito livre que não se adequou ao mundo hipócrita de uma nobreza falida de verdadeiros sentimentos, preferindo viver no cinismo e na dissimulação. O autor tem um estilo próprio, utilizando elementos psicológicos para revelar o que existe atrás das aparências.

Todos que são diferentes do sistema são marginalizados e observamos isso em diferentes ocasiões na história da humanidade. Ao término da leitura senti-me um pouco Daisy Miller, mas não tenho tanta inocência e espírito rebelde.