quarta-feira, 30 de março de 2016

Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)


Qual a diferença de amar e admirar? Qual a diferença entre celebridade e ator? O que é arte? Será que só a cultura e a técnica fazem um bom ator? Ou a intuição e os sentimentos são necessários para atuação ficar mais viva? O que é sucesso? Fracasso? O protagonista na busca de sua identidade atravessou o labirinto de egos inflados e as luzes frenéticas do Show Bizz. Queria mostrar que era um ator de verdade, apesar do rótulo de ter feito um personagem super-herói adaptado de revistas em quadrinho, mas, com o tempo, descobriu sua verdadeira existência que está além do mundo de máscaras e superficialidades que sempre viveu. O filme é daquele tipo de história que me faz refletir quem sou realmente e para onde vou? E até quando precisamos dos outros para legitimar o que somos? Será que na solidão pode-se encontrar a verdadeira essência individual? Enfim, mais perguntas que respostas e, a meu ver, toda obra de arte que se preze precisa questionar mais do que dar respostas.