domingo, 23 de março de 2014

A História de Adele H. (Histoire d'Adèle H., L', 1975) de François Truffaut

Cena do filme


O amor e a obsessão são opostos, mas são muito semelhantes. Ao ver A História de Adele H., essa ideia reforçou ainda mais essa ideia. Aliás, o enredo é inspirado dos diários de Adele Hugo. O filme mostra várias cenas, as quais a protagonista escreve compulsivamente.

Adele, filha do grande escritor Victor Hugo é perdidamente obcecada pelo antigo noivo, agora tenente do exército. Entretanto, ele não a deseja mais. 

A jovem o segue e se perde na sua própria loucura. A cena que me marcou mais foi dela andar perdida pelas ruas de um país tropical, suja e com o vestido rasgado. Adele sempre fora muito frágil, inclusive, com a morte da irmã mais velha e pensou que seu ex-noivo fosse amá-la, suprindo todas suas necessidades. Criou outra realidade, que se assemelhava uma esquizofrenia.

Enfim, como obra de arte o filme é impecável, mas, na vida real, viver como Adele H., deve ser um fardo  pesadíssimo de carregar.