domingo, 4 de março de 2012

outros olhares

Uma bela reflexão sobre o tempo e envelhecer, principalmente num mundo que cultua a juventude consumistas.

Ser efêmero não é ruim, viver bem no seu espaço do tempo é uma sabedoria, mas, transforma-se numa coisa fabricado, é deprimente.