sábado, 12 de fevereiro de 2011

MORANGOS MOFADOS DE CAIO FERNADO ABREU



       
                      
MORANGOS MOFADOS DE CAIO FERNADO ABREU
                             
Os contos deste livro confirmaram ainda mais a teoria de que a realidade é composta por várias camadas e as quais a gente num irá revela-las cem por cento.
Também, mostra que o eu e o outro não são tão separados, a fronteira é imperceptível e muitas vezes móvel. Isto significa que somos frágeis, contraditórios, maravilhosos e marginais. Os personagens dos contos vivem conflitos e tentam encontrar caminhos para sobreviver em um mundo conservador.
Morangos Mofados provoca pensamentos, é uma mordida na maça proibida. Além de ser uma viagem às periferias, tuneis e poços das profundezas da alma humana.    
Mesmo nos dias de hoje, é um livro à margem. Pois, se difere da superficialidade instantânea que impera na nossa sociedade. Como Clarice Lispector tem o coração selvagem, os dois se diferem da grande maioria que vive mecanizada pelo cotidiano.
Admiro personalidade assim, que têm um olhar peculiar sobre as grandes e pequenas coisas. Às vezes, quebro rochas para assimilar o que desejam dizer. Em algumas ocasiões quero desistir, mas tem algo dentro de mim que mantem a chama da curiosidade.