terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Hawaii

Havaí : Poster


Por esses dias, minha amiga A. me indicou este filme e até algumas críticas sobre ele. Por coincidência, encontrei-o no youtube. ( Detalhe, fui ver se conseguia o link, mas, o youtube apagou.)

Mesmo não dublado e com a legenda em inglês, pude perceber como o filme tem uma delicadeza fantástica, saindo um pouco do lugar comum de hoje em dia. A interpretação minimalista dos dois atores revela a tensão sexual, o amor que os personagens sentem e o regaste das lembranças da infância dos dois.

Não sei se isso é relevante, mas achei interessante a aparência comum dos dois atores, não são malhados. Acho que este fato torna o filme mais natural, inclusive, nas cenas eróticas. Como se mostrasse uma sensualidade mais pura e menos "fabricada". Lembrei-me um pouco do filme brasileiro Hoje Eu Quero Voltar Sozinho, porque ambos são sutis e pueris na forma como abordam o amor.

Enfim, gostei muito da indicação da minha amiga A., aprecio boas histórias e que fogem dos lugares comuns como a erotização em demasia e a estetização da violência.

Fugindo um pouco do assunto, na verdade, considero que usar a arte de forma panfletária enfraquece a obra como um todo. Tudo bem que a arte pode trabalhar com a política ou a questão de gêneros, mas quando fica "panfletário" e maniqueísta torna-se chata e desinteressante, para mim. Gosto de narrativas que se aproximam da realidade, inclusive, mostrando como somos universos dentro de um universo maior.