domingo, 15 de janeiro de 2012

O GRANDE GATSBY DE F. SCOTT FITZGERALD( 1925)








Para mim, o interessante da literatura é transformá-la como paradigmas ou conhecimento e aplicá-los na vida. Pois, a ficção e a realidade estão interligadas e uma influencia a outra. Ao ler o romance O GRANDE GATSBSY comecei a pensar sobre a idealização de um sonho e como podemos ser destruído por ele, como aconteceu com o protagonista do livro o misterioso Gatsby.

" ... Se isso fosse verdade, ele deve ter se sentido que perdera seu próprio mundo, que pagara um preço demasiado caro por viver durante tanto tempo alimentando um único sonho."

A história é contada pelo personagem-narrador Nick, que apresenta a efervescência das festas que Gatsby promovia na sua mansão de sonho e sua paixão por Daisy Buchanan.

A narrativa é ágil, mostrando a modernidade do início do século XX em ebulição. Característica marcante dos escritores contemporâneos. Nas passagens do livro carros, cinema, jazz, festas, trem, a cidade e a propaganda são um turbilhão de acontecimentos que perpassam pelas vidas dos personagens.

O escritor descreve muito bem este ambiente devido à sua vivência. Francis Scott Key Fitzgerald nasceu em Saint Paul, Minnesota, nos Estados Unidos, em 24 de setembro de 1896. É de família católica irlandesa, ingressou na Universidade de Princeton, porém não se formou. Anteriormente, li seu livro de contos O DIAMENTE DO TAMANHO DO RITZ E OUTROS CONTOS, onde como no romance descreve criticamente a alta sociedade norte-americana e sua falta de escrúpulos.

Jay Gatsby misteriosamente ficou rico e fazia festas com várias personalidades para chamar atenção de Daisy Buchanan, que era a personificação de seu sonho impossível e pagou um preço muito caro por isso. Daisy pertencia a uma classe que vivia na superficialidade e onde o consumo e as frivolidades eram mais importantes.

Enfim, O GRANDE GATSBSY é um romance que faz uma reflexão profunda da sociedade capitalista norte-americana do começo do século XX.