domingo, 21 de fevereiro de 2016

“ O homem inventou o robô sua imagem e semelhança”






Quando Ex-Machina: Instinto Artificial, lembrei-me de outro filme que aborda o mesmo tema: Eva - Um Novo Começo. Ambos discutem a questão da Inteligência artificial e os robores se tornarem quase humanos.

A ficção científica constantemente expõe a distopia, principalmente, quando o Homem tem a pretensão de construir um mundo artificial perfeito, mas, na verdade, constrói um lugar doentio.] Nos dois filmes através da tecnologia robótica há uma discussão sobre a condição humana e como é conflituosa. Portanto, se os robôs forem tão humanos, serão imperfeitos como nós. Inclusive, buscarão a liberdade e a hegemonia de sua espécie.

Lógico que eles poderão ser mais fortes, inteligentes e imortais, todavia, os gens humanos estarão com eles e reproduzirão os costumes humanos.

 Aí, parafraseando: “ O homem inventou o robô sua imagem e semelhança”. Ao pensar no robô como homem, percebe-se como a condição humana é imperfeita e limitada. Não adianta, não somos o centro de tudo.