quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

SIM, EU CREIO


Não quero acreditar na justiça com as próprias mãos e na barbárie. Quero acreditar no Estado de direito, mesmo que seja falho pra cacete.

Para mim, super-herói é bacana na fantasia. Na realidade o que faz a diferença é as pessoas se unirem para reivindicar seus direitos e construir uma nação melhor. Cada um com suas limitações se juntarem para discutir o que se deseja para o país.  Lógico, respeitando as individualidades.

Explosões, saques e destruição não adiantam nada. O que precisa é conversa e fortalecer ainda mais a Democracia.  

Cada um de nós com simples atitudes pode contribuir para melhorar nosso país como, por exemplo, votar com consciência, fiscalizar o trabalho dos políticos, não jogar lixo na rua (para evitar de entupir os bueiros e causar enchentes) e ter a consciência de como conviver nos espaços públicos.  Muitas vezes, não adianta só focar no macro, como os governos ou as autoridades públicas, nós devemos refletir sobre nosso próprio comportamento.  

Uma vez ouvi dizer que Homem é político por natureza. Todos nós a praticamos conscientemente como inconscientemente.  Portanto, precisamos voltar para microcosmo para que o macro mude.

Outro fato interessante, não adianta só a razão, mas os bons sentimentos. O afeto entre as pessoas é fundamental também para formar uma sociedade mais justa.