terça-feira, 6 de junho de 2017

Mulher maravilha



Não quero falar da parte técnica ou da qualidade estética do filme, já existem muitas críticas abordando.

O que me encantou na história foi a inocência infantil de Diana em relação à humanidade. No início, ela não entendia as dissimulações.

 Quem, quando criança, não entendeu uma "mentirinha" dos adultos para manter uma social? Aí, questionou-se: " Ué, falam para mim que é errado mentir, mas estão faltando com a verdade agora?"

Realmente, é triste descobrir que a sociedade é hipócrita e que os adultos cometem o que disseram ser errado.

 Em várias cenas as pessoas riram pelas gafes da protagonista, por ela não entender de que no mundo o qual estava os indivíduos precisavam usar máscaras. Além de perderem a essência, corrompendo-se pelo meio do caminho.

Hoje em dia, há vários exemplos na política e no cotidiano, que nos levam a desesperança. Será que o mundo e as pessoas têm jeito?

A Mulher Maravilha pode ser uma inspiração para continuarmos a manter nossa inocência e a fé na humanidade, atravessando o abismo que todos possuem dentro de si.