terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Impulsividade na Internet



Tempos atrás, quando fazia uma prova para um concurso público qualquer, havia um texto que argumentava como o e-mail poderia ajudar na ponderação das pessoas. Por exemplo, quando alguém escreve e-mail, dá-se o tempo de esfriar a cabeça e escolher melhor as palavras para não ter problemas desagradáveis.

Bem, não concordei muito com o texto, mas, ao pensar que o surgimento das redes sociais, cada vez mais a impulsividade reina. Mesmo as pessoas deletando o que postou, existe o famigerado "print" que registra TUDO. Por isto, publicou na rede, já era! Inclusive, hoje em dia, as mensagens não são só escritas, mas sim por vídeos e áudios. No "whatzapp" tem gente que só envia mensagem de voz ou liga por meio do aplicativo.

Até entendo que na época do texto da prova, a banda larga era muito mais inacessível e, com a internet discada, as pessoas conectavam para receber as mensagens, desconectavam para ler e responder e-mails. Daí, o tempo para esfriar a cabeça de repente.

Atualmente, quem envia um e-mail para um amigo ou ao ser amado? Ele está mais restrito ao mundo corporativo ou relacionamentos formais como escola, faculdade entre outros.

Além das redes sociais e cada vez mais a internet 3G ou 4G e banda largar popularizadas, postamos em tempo real com os sentimentos a flor da pele. Gafes pipocam por segundos e sempre tem um fofoqueiro de plantão ou alguém mal intencionado para "printar" os desabafos e erros de português alheios, com a finalidade de tirar um sarro, compartilhando viralmente na rede e os transformando em "memes".

Será que estamos prontos para este novo tipo de comunicação que se torna cada vez mais instantâneo? Confesso que sou impulsivo às vezes( só que não, muitas vezes). E coleciono gafes e erros de português bem cabeludos. Nesta semana que começou, quase escrevi paSSiência! Detalhe, reedito minhas postagens sempre. Porém, o que já foi publicado não tem mais jeito.

Haverá um que encontrará meus equívocos no mundo virtual.