domingo, 11 de dezembro de 2011

AUTOCONTROLE


De repente sinto uma ira do mundo. Vejo-me uma força destruidora. Quando estou deste jeito, preciso escrever ou inventar algum vídeo. Canalizar esta raiva em algo terapêutico. Não quero ser Tsunami. Sou forte o bastante para me controlar, principalmente meu lado sombrio.

Esta crônica não deixa de ser um grito, não tem qualidade literária. É explosão de emoções e pensamentos.

Às vezes, sinto-me cansado de me domar. Mas, sei que para viver a liberdade, preciso ter controle de mim mesmo. Pois, ser levado pelos impulsos, irei me transformar num escravo dos instintos.

Meus pais sempre falam de equilíbrio e como odeio esta palavra. Quero extirpá-la do dicionário. Porém, preciso dela para conseguir me salvar.

Respirar fundo ajuda a pensar sobre o remorso que terei ao destruir a vida dos outros, refreia-me.


Sou livre por aprender a controlar meus instintos e delírios.