domingo, 2 de junho de 2013

EMOÇÃO X RAZÃO





Confesso novamente que quando escrevo ou faço vídeos, uso mais a emoção. Por isso, quando comento um filme ou livro, não estou fazendo uma resenha ou crítica e sim faço algo semelhante a uma crônica. Menciono minhas impressões particulares e subjetivas.

Não me considero crítico, sou um comentarista. Agora, se meus argumentos são ruins ou não, cabe o enfoque de cada pessoa. Nem tenho a pretensão de ser especialista.

O conhecimento da crítica é muito importante, pois aborda temas que, muitas vezes, a gente não percebeu em um livro ou filme. Contudo, uma “simples” opinião de uma obra, pode surgir à curiosidade, que pode levar ao um conhecimento mais aprofundado.   Quantas vezes, li ou assisti uma pessoa fazendo um breve comentário e ele servir de ponte para outras matérias ou documentários mais especializados.

Tudo bem que há uma ordem no discurso, os estudiosos e intelectuais possuem argumentos mais consistentes. Todavia, ficam muito restritos para um grupo já inserido neles. Então, uma pessoa leiga que fala sobre um assunto, mesmo que tenha embasamentos, provoca discussão. Depois, serve de link para os que entendem realmente do assunto. Quando posto um vídeo no youtube, aparece outros vídeos de professores de universidade e pensadores. Logo, apesar da pessoa desconsiderar tudo que eu disse, terá contato com os que sabem do tema profundamente.


Sei que a internet é muito duvidosa nas informações. Entretanto podemos utilizá-la para a democracia do conhecimento, que na maioria do tempo está restrita para poucos.